A SAGRADA COMUNHÃO


“Mateus 26:26,28 - Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lhe, dizendo: Bebei dele todos; Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.”

Praticar o sagrado ritual da Comunhão semanalmente é um privilégio de todo filho de Deus, seja qual for sua religião. Comungar é partilhar do Corpo Místico de Deus na Terra; é aceitar e reforçar sua crença e louvor na cristicidade. Quando Jesus dizia "Eu", ele estava sempre se referindo à Luz do Cristo com a qual Ele se identificava.

A Pessoa de Jesus era a encarnação de seu próprio Cristo, caminhando aqui na Terra. Quando Ele pegou Um Pão e quebrou-o dando-o a cada apóstolo e dizendo: “Tomai, comei, este é o meu Corpo” – Ele se referia ao Corpo do Cristo Cósmico (por tanto, uma luz), o Corpo Místico de Deus na Terra, e... uma vez um, uma vez um, uma vez um, é sempre Um. Assim cada apóstolo e cada filho de Deus comungam da mesma luz crística. Desta forma, cada homem que expande e eleva sua própria consciência está elevando o inconsciente coletivo da humanidade.

O ritual da Comunhão, portanto, é uma bênção que podemos incorporar à nossa prática devocional. Jesus está presente sempre que se pratica este sagrado sacramento. Temos direito a esta honra porque somos filhos de Deus, além disso, cremos e aceitamos nossa própria cristicidade.

Outro dia uma senhora me perguntou: - Aqueles que se divorciaram e se casaram novamente, um casamento não abençoado pela igreja católica, podem comungar?

Bem mais importante que as belíssimas cerimônias religiosas de casamento é a forma que o casal se trata. Existe respeito mútuo? Existe ternura ou apenas atração física? O casal empenha-se em manter a harmonia no lar? Procuram educar seus filhos de acordo com as leis de Deus? Tentam resolver os problemas com bom senso, lucidez e perdão?

O místico em busca da verdade está sempre questionando valores, dogmas, conceitos, regras estabelecidas muitas vezes para limitar a consciência; Ele questiona a lógica das coisas. Vemos na bíblia Deus recusando ofertas, quando os motivos eram escusos.

Isto deixa bem claro que a energia que flui no coração é mais importante que um ritual religioso! Portanto, podemos afirmar, sem a menor dúvida, que pessoas casadas pela segunda, terceira ou quarta vez, podem sim comungar, desde que seus motivos sejam sinceros.

Na comunhão, o pão representa o Corpo Místico de Deus e o vinho (suco de uva) representa a essência dos mistérios. Nós usamos o pão e o vinho em nossos rituais. Os mistérios estão sendo revelados, temos direito ao conhecimento e à verdade.

A Prática do Ritual da Comunhão em sua própria casa, conforme orientação dos mestres ascensos:

Preparação:
- No lugar de vinho, utilize o suco de uva natural;

- 1 vasilha com pequenos pedaços de Pão integral ou hóstia, para cada pessoa;

- 1 cálice pequeno para cada pessoa;

- 1 bandeja para os cálices;

- 1 CD de música sacra ou clássica para o momento da Comunhão;

- 1 cesta para as cartas de perdão, que deve ser colocada próxima ao altar.

Os participantes devem escrever uma carta de perdão dirigida ao Conselho Karmico, mais ou menos nestes moldes:

Amado Conselho Karmico,

Em nome do meu Eu Real venho à Vossa Presença pedir perdão pelo mau uso da energia que tenho praticado nesta vida e em vidas passadas.

Após um cuidadoso exame de consciência, seja específico, colocando nesta carta pedido de perdão pelos erros, citando-os. Depois prometa fazer uma novena para redimir-se dos erros e purificar sua própria energia; exemplo: prometo fazer vinte ou trinta minutos de Chama Violeta por nove dias seguidos ou fazer 108 Ave Marias por 33 dias seguidos; enfim, siga seu coração.

Assine a carta com nome completo e queime-a após o ritual.

O Ritual

Acenda duas velas brancas e faça um período de orações, comandos de luz, decretos ou mantras. Se possível, durante ao menos uma hora.

Em seguida coloque uma música sacra ou clássica. A bandeja com o pão e o suco devem estar no altar, desde o início do ritual, cobertas com uma toalha branca.

Após o período de orações, retire a toalha que cobre a bandeja e faça a consagração do pão e vinho com esta oração, extraída do livro “Rituais de Ashram” da Summit University Press, dada por mestre El Morya ao mensageiro Mark Prophet;

(Ligue a música e de pé iniciem o ritual)

Maria Lucia Vieira
do site: www.eusouluz.com.br


Prece da Comunhão - por Mark L. Prophet

Nosso amado Senhor Jesus, como tu disseste, “Tomai, comei: isto é o meu corpo, que é partido por vós...” Este cálice é o novo testamento no meu sangue. "Fazei isto em memória de mim“, vem então partir conosco o Pão da Vida e verter o teu doce cálice de Comunhão. Comemorando a unidade do Corpo Místico de Deus no céu e na terra, celebramos a tua vitória sobre a Morte e o Inferno e a tua ressurreição para a Vida eterna.

(Todos colocam o polegar e os dois primeiros dedos da mão esquerda sobre o chakra do coração e erguem a mão direita com a palma voltada em direção ao pão e ao vinho, enquanto lêem os seguintes parágrafos).

Centrados na chama de ação de graças, em União Total, partilhamos o teu Sangue e o teu Corpo, o Alfa e o Ômega do nosso Deus-Pai/Mãe. Vem, ó Senhor, pois estamos reunidos em teu nome. Abençoa agora este pão e este vinho. Que eles contenham o todo da tua essência Crística para a renovação da nossa natureza espiritual nesta alquimia divina da transubstanciação.

Faz-nos santos, pois tu és santo.
Santidade para com o SENHOR!

Faz-nos dignos, pois tu és digno.
Dignidade para com o SENHOR!

E deixa-nos beber contigo no Reino este fruto novo da tua Vinha, assim como dele partilhamos agora com seres não ascensos e seres ascensos, mestres, santos, anjos e arcanjos – seres gloriosos em união total com a Vida, a Luz, a Verdade e o Amor da Mãe Divina.

Ó Minha Alma, Ascende!

Pelo pleno Poder do Três-Vezes-Três, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, está consumado.

EU SOU a Bondade, A Paz e a Alegria de Deus Todo-Poderoso manifestando-se por toda a parte nos corações dos comungantes de Cristo, mundos sem fim!

Amém.

(podem sentar-se)

Os participantes devem levantar-se suavemente, um a um, e caminhar até o altar, tomar primeiro o pão, em seguida o vinho, cuidando para não deixar sobra no fundo do cálice. Após sentar-se, outro participante encaminha-se para o altar.

Todos tendo terminado, podem fazer uma meditação por alguns minutos.

Para encerrar o ritual Apaga-se as velas.

Os cálices devem ser limpos reverentemente, com um guardanapo de papel limpo e depois queimados. Cuide para não jogar fora nenhuma migalha do pão consagrado.

Mark L. Prophet


- Ao copiar nossas páginas, indique sempre o web site - www.eusouluz.com.br -


- Colabore para a Expansão da Luz! -


Voltar para a Página Anterior

Conhecer Outras páginas