Montanha Shasta


A CHAMA DA LIBERDADE - 2


Seja a Montanha!

Existem habitantes dentro da montanha Shasta? Há retiros lá? Existem caminhos dentro da terra que ligam todos os retiros da Grande Fraternidade Branca? Para todas essas questões, devo dar um retumbante Sim! Sim, Shasta está repleta de almas de luz. Sim, Shasta é o ponto focal dos antigos lemurianos e sacerdotes e sacerdotisas do Fogo Sagrado. Sim, eu digo.

Confirme isso por sua própria sintonização. Confirme por sua comunhão. Vá para dentro da montanha e, como diz Hércules, "seja a montanha! ... Que todos corram, então, para encontrar a montanha!" Esta é a palavra de Hércules, um Elohim de Deus.

Hércules é a autoconsciência de Deus como Poder, como a Vontade da Chama. Os Elohim são os Senhores da Criação que formaram os planetas e os corpos estrelados em resposta ao decreto do Senhor.

Hércules, o Elohim do Primeiro Raio, declara: "Que todos corram, então, para encontrarem-se com a montanha!" Isto significa, deixem que suas energias corram para o coração da montanha. Sintam o fluir para o centro! Sintam suas energias misturarem-se com o coração de um planeta e um povo que tem mantido a chama (acesa) por nós, por milhares de anos, aguardando o despertar (da humanidade).

Ele diz: Corram, então, para encontrar a montanha, a base circular subindo ao centro como o único pico - antigo vulcão, Shasta - brilhando na luz da manhã! Então, deixem que a montanha que vocês escalam agora, seja a montanha que sobe desde a sua própria consciência ... uma montanha não de karma, mas de luz, de momentum Divino que vocês constroem ciclo a ciclo, elevando as energias do ser e, sabendo que, "Eu SOU a Sagrada montanha de Deus ... EU SOU a mágica montanha do ser."

(Isso acontece quando vivemos intensamente nossa espiritualidade, conversando com Deus e com os mestres, 24 horas por dia. Orando sem cessar. Entregando todas as dúvidas e problemas para Eles. Comunhão absoluta com o divino! Vamos subir a montanha desta consciência.)

O que isso nos ajuda a vir à montanha que outro criou? Devemos criar nossa própria montanha, nossa própria montanha de luz que começa no núcleo ardente do AUM no coração do EU SOU O QUE EU SOU. Devemos ser construtores de montanhas. Sacerdotes e sacerdotisas de Mu levantaram Shasta como uma homenagem à chama da Mãe Divina, mesmo quando nos sentamos em meditação no raio Mãe. E quando os yogis do Oriente se sentam para levantar a Deusa Kundalini, então, ao levantar o fogo, eles levantam a montanha da luz do fogo branco. Vamos elevar nossa montanha. Vamos ser a montanha sagrada de Deus. Vamos ser essa montanha sagrada.

Então, Hércules diz: agora seja essa montanha! Seja Shasta! Sinta as pulsações de uma montanha construída sobre a conquista de sacerdotes e sacerdotisas da antiga Mu que criou essa montanha como uma homenagem à chama da Mãe.

(O continente da Lemúria, chamado de Mu, era um vasto continente localizado no oceano pacifico, que se estendia por cerca de 6 mil quilômetros do norte do Havaí ao sul, onde estão localizadas as Ilhas de Páscoa e Fiji, e foi constituído por três áreas de terra que se estendiam por mais de 8 mil quilômetros, de leste a oeste. O continente de Mu foi destruído a aproximadamente doze mil anos atrás, por terremotos e vulcões, e pelo colapso das câmaras de gás que sustentavam o continente, que submergiu ao fundo do oceano, deixando como recordação o pico de suas mais altas montanhas, as ilhas do Havaí, Fiji e Páscoa.)

Vamos agora meditar em ser a montanha. Coloque sua atenção sobre o seu coração; Entre no seu coração enquanto meditamos juntos:

Flua, Ó fogo de nossos corações! Ó meu coração, flua para a montanha sagrada do amor! Flua, ó fogo sagrado! Gabriel Arcanjo, deixe fluir o fogo da pureza! Nós elevamos dentro do ser e da consciência um tributo ao Criador de toda a vida, ao Deus Pai-Mãe, ao coração da montanha Shasta e da Irmandade desta montanha. Flua, ó fogo do meu coração! Flua para Shasta! Flua, ó minha alma! Flua para a água cristalina da vida! Atravesse o rio do meu coração para a fonte de Shasta!

Ó luz do EU SOU O QUE EU SOU, venha em resposta ao fogo dos nossos corações e retorne agora, esse fluxo de nossos corações multiplicado pelo fiat da Palavra, EU SOU O QUE EU SOU!

Nós nos disponibilizamos como receptores da montanha e do Fogo Sagrado da montanha. Nós nos disponibilizamos como refletores da montanha e do fogo da Mãe dentro da montanha. Nós saudamos a Irmandade. Nós saudamos o Espírito eterno da vida. EU SOU O QUE SOU!


- A LIBERDADE É UMA CHAMA -


A alquimia da liberdade que começa dentro da alma do homem e da mulher é uma chama que queima - uma chama que não será extinta.

Inaugurando uma era de Aquário da Liberdade está Saint Germain, mestre da chama da liberdade. Ele é a figura-chave da história do planeta e na fundação da América como uma nação, onde toda a humanidade tem a oportunidade de ser livre. A liberdade não é apenas uma chama, mas é uma identidade - uma consciência.

Nós vamos explorar os fogos da liberdade como consciência divina na individualidade. Nós vamos falar sobre o que realmente significa ser livre e como buscar (tirar) a liberdade do karma, das rodadas de reencarnação, das limitações do tempo e do espaço. Nós discutiremos as ilusões e as confusões causadas por uma falsa liberdade oferecida pelos caídos como liberdade política, social, econômica e religiosa.

O que é Liberdade Espiritual?

Nós viemos para celebrar a liberdade espiritual. O que é liberdade espiritual? Para defini-la, nós precisamos saber o que é liberdade em si. Então, nós saberemos o que é liberdade espiritual, o que é liberdade material, o que é a liberdade da alma e o que é a liberdade de Deus.

O que significa ser livre? Esta é uma pergunta totalmente mal compreendida por alguns e incompreendida por outros. São muito raras as pessoas sobre o planeta Terra que chegaram a definir a liberdade, a reverenciá-la aqui nesta Terra e celebrar essa chama.

Nós nos unimos aqui para um propósito cósmico, e, não só definir a liberdade, não só para comungar com a liberdade, mas de tornarmo-nos nessa chama da liberdade. A cada dia dos quatro (dias de conferencia em Shasta 1975) dedicaremos a chama da liberdade para irromper em um outro nível de consciência, em um dos quatro corpos inferiores de um planeta e de um povo. Chegaremos então ao significado de liberdade como uma chama ao nível etéreo (no quarto dia).

A liberdade começa dentro da alma do homem e da mulher. E o que é a alma? A alma é o potencial vivo de Deus que clamou (pediu) e, portanto, foi concedida pela Vida (Deus) a oportunidade de sair, sair do núcleo ardente (do Eu Sou o Que Eu Sou), e manifestar uma identidade e uma individualidade (consciência individual). E, portanto, a alma foi enviada para os planos da Mater (matéria) com o dom do livre arbítrio. É aí que começa a Chama da Liberdade. Ela não poderia existir exceto como presente do Criador para a criação.

O dom do livre arbítrio não é compreendido; pois a humanidade têm várias razões para determinar que seu destino é preordenado, seja pelas estrelas, ou por uma doutrina, ou um dogma, ou por seu karma ou por seu dharma. Eles não reconhecem que os campos de energia são o instrumento do Eu Real.

Se esses campos de energia são formados por nossas estrelas, ou por nosso karma, ou por nosso passado, ou o que quer que seja, o fator-chave no livre arbítrio é que a alma é ordenada a tomar as rédeas da energia, do controle da energia, para determinar o destino desse campo de energia.

As Responsabilidades do Livre Arbítrio

Você é um campo de energia. Sua alma recebeu a autoridade para "tomar domínio sobre a Terra" . - A "Terra" significa a densificação, a materialização das energias de Deus. Essa é nossa tarefa. Nós buscamos a liberdade espiritual como forma de buscar nas nossas origens, os porquês e os razões da descida da alma (para a matéria).

Aceitar a premissa do livre-arbítrio significa aceitar as responsabilidades do livre arbítrio. Para aceitar as responsabilidades do livre arbítrio, devemos poder analisar a causa e o efeito. Quais são as causas que (no passado, nós) permitimos pelo livre arbítrio sair deste campo de energia (nossa aura), que é a nossa identidade? E quando contemplamos a marcha do tempo, o movimento das espirais do espaço, quais são os efeitos dessas causas que nós colocamos em movimento?

Você já analisou alguma manifestação devastadora em sua vida, em sua casa, entre seus amigos, e percebeu que, pela Palavra falada, você criou estragos, você talvez criou tristeza, talvez o desmoronamento da identidade de outro ou a intimidação de uma (outra) alma?

Você percebeu naquele momento que você era um criador, que liberou uma causa, uma espiral de energia que resultou em um efeito? Você soube, então, que você tinha livre arbítrio. Você também compreendeu que Deus fez você um cocriador com Ele e que nesse momento você exercitou a faculdade de criar, e esse foi o resultado. Você também reparou como você trouxe alegria e esperança, sorrisos e felicidades para as pessoas ao liberar uma causa que resultou em um efeito benéfico? Este é o livre arbítrio. Isso é responsabilidade.

Agora, enquanto nós contemplamos o nosso poder na chama da liberdade e, na própria liberdade, chegamos a compreender essa imensa responsabilidade e perguntamos: Se Eu Sou uma chama e o nome dessa chama é Liberdade e eu tenho vontade livre e posso cocriar com Deus, quais são as consequências de longo alcance, da minha criação, da minha liberdade? Minhas energias atingem as estrelas? Elas alcançaram o Sol Central? Elas estão confinadas a esta sala? Ou elas se mantém no campo de força da minha consciência?

Qual é o campo de força da minha consciência? Qual é a extensão do ser, a circunferência da individualidade? Aqueles que se rebelam contra a lei da vida e do ser não admitem facilmente as consequências de longo alcance do livre arbítrio, do uso da chama da liberdade.

Immanuel Kant, o filósofo do século XVIII, deu o imperativo categórico: "Aja como se suas ações fossem tomadas e imitadas pelo mundo inteiro". Determine suas ações perguntando-se: "Eu gostaria que toda a humanidade fizesse o que eu sou fazendo?" Ele tinha muito bom motivo para dizer assim; pois é uma lei da vida que tudo o que fazemos ressoa como o som da Palavra, como o som do AUM, sobre a vida. Tudo o que fazemos tem impacto sobre cada alma viva.

Nós entramos na responsabilidade da chama da liberdade e ouvimos a voz de Deus. A única verdadeira liberdade que o homem pode ter, e saber, e ser, é a liberdade que Deus ordenou. Essa liberdade só pode ser conhecida quando o homem emprega com maestria o dom da vontade livre para direcionar as energias de sua vida no cumprimento de seu plano divino. Pois somente quando o homem pode controlar sua vida, pode ele controlar seu destino e, seu destino é a sua verdadeira e única liberdade. Quando buscamos a liberdade espiritual, nós buscamos nosso direito de cumprir nosso destino cósmico, nosso destino manifestado.

A Escolha É Ser

Nós temos a liberdade de escolher ser ou não ser – de ser a alma modelando o plano divino interior ou, de ser a alma não modelando o plano divino interior. É uma escolha. É uma escolha de ser – de ser/estar alinhado com o modelo do plano divino interior de nosso próprio Eu Real, para entrar em conformidade com a lei desse SER REAL, ou de ser/permanecer fora da realidade.

No cerne do ser, você sabe que você é real. Você sabe que você tem uma conexão com uma fonte superior além, uma fonte que antes do sopro da vida foi infundida no próprio vaso de argila (o corpo físico), uma fonte que continuará além da colocação de lado desse vaso de argila (além da morte física).

"Antes que Abraão fosse, EU SOU!" - Esse é o fiat do Eu Real (o Santo Cristo Pessoal) dentro de você, o Ungido. Esse Ungido é uma parte permanente da vida, da realidade; mas a alma ainda não é. A alma ainda não se tornou permanente, porque a alma elegeu sair desse núcleo ardente (a Chama Trina) para descobrir um destino, ter livre arbítrio, ser livre por um tempo, no tempo e no espaço.

Portanto, nos reunimos como almas vivas, como potenciais da mente de Deus, desejando unirmo-nos com o Eu Real, desejando descobrir esse Eu Real. Pois nossas almas já determinaram que não queremos permanecer na escuridão externa, no campo de efeito. Queremos ir para a Causa.



Elizabeth nas Montanhas Rochosas do Colorado - EUA


Limpando os Canais do Ser

Esta conferência é dedicada para a limpeza dos canais em seu ser, para que você possa caminhar pela estrada do cosmos de volta à Fonte, que é o Fogo Sagrado da vida dentro de você.

Nós vamos perseguir com grande paixão essa liberdade de sermos nosso Eu Real, uma paixão ainda não conhecida no planeta; pois nós acrescentaremos a paixão e o fervor de nossos corações de serem livres, a todos os outros que caminharam para o núcleo ardente do Ser.

E pelo momentum de toda essa manifestação de almas que já ascenderam, conhecidas como “Todo o Espírito da Grande Fraternidade Branca”, nós reforçaremos a nossa liberdade, o nosso direito de sermos livres aqui abaixo.

Quando nós contatarmos essa chama, quando limparmos a estrada de nosso Deus para que a alma se eleve àquele fogo central, àquele fogo da liberdade no altar do ser, então toda a vida, a natureza, os governos das nações, toda a humanidade precisará entrar em conformidade com essa chama.

Então, saberemos como resolver os problemas de guerra e paz, da economia, do governo, de todos os cruzamentos e de toda a discórdia e dissonância que encontramos nos quatro corpos inferiores de um planeta e de um povo, assim como nós nos reunimos para o aniversário da Declaração de Independência. Assim como nos reunimos para esse aniversário, nos reunimos para declarar a independência da alma, do direito da alma de ser livre na chama.

E quando ratificarmos e colocarmos nosso nome nessa declaração e nos juntarmos no núcleo de fogo branco do ser, nos encontraremos como uma mandala - um mandala de Cristãos da chama central e dos doze indicando os treze discípulos.

E uma e outra vez, enquanto esta mandala espirala através desta comunhão, estabelecemos o alicerce, fixando o chamado magneto, o Magneto do Grande Sol Central. O Magneto do Grande Sol Central é o ímã do fogo do seu coração. É um ímã que é mantido como um diamante na consciência de Deus, que atrai a humanidade de cada caminho da vida, para alguma nova esperança de liberdade, alguma nova centelha, alguma nova realização.

Então, todo homem, mulher e criança no planeta, conhecerá um novo ar e um novo sopro de liberdade, porque marcamos o destino de nossas almas. O que consagrarmos aqui, o que dedicarmos aqui, será de fato, para a construção da nova ordem das eras.



A Cidade de Shamballa


A Humanidade se Esqueceu da Origem da Liberdade

Houve um momento (na história do planeta Terra) em que toda humanidade esqueceu a Fonte (de Luz, de Vida), esqueceu a Chama da Liberdade, esqueceu que a liberdade era uma chama. E a chama saiu (da Terra). Isso foi na queda da Lemúria; e a descida da consciência da humanidade naquele outono, foi para o estado mais primitivo já conhecido na Terra - para aquele ponto em que o homem se tornou quase um animal, quase andando de quatro, nem mesmo se erguendo, nem tendo o sentido de respeito pela chama no coração.

Naquele momento, os conselhos cósmicos determinaram: "Não há ninguém, nem uma alma na Terra que reconheça e adore o fogo da liberdade, a chama da liberdade (a Chama Trina no Sagrado Coração). Não há mais motivos para Terra existir".

Os conselhos cósmicos determinaram que a Terra deveria seguir o caminho de muitas outras estrelas, muitas outras casas de evoluções (planetas) cujas vidas intelectuais (almas) elegeram não mais existir.

(A Chama Trina no chakra do coração, é a fonte da vida, se não a adorarmos, ela não se alimenta e morre. Adoramos a chama quando entramos em contato com Deus e os Mestres Ascensos, invocando a solução de nossos problemas diários, colocando-os na chama para serem consumidos. A entrega dos problemas na chama, e depois o agradecimento pela conquista da solução dos mesmos, é o seu maior alimento, o verdadeiro Tai-Chi, que mantém a chama acesa. O objetivo maior da alma deve ser vestir-se com esta Chama Sagrada, expandindo-a desde o seu coração, até envolver seu corpo todo, desde abaixo dos pés. Esta é uma boa meditação e afirmação para se fazer diariamente! - Amada Chama Trina Sagrada, expanda agora, desde o meu coração, e envolva todo o meu ser!)

Você pode imaginar uma corrente de vida inteira que eleja não existir? Não é muito difícil. Nós só temos que sair para a civilização de hoje em dia e ver o que a humanidade está escolhendo ser, e precisamos dizer a nós mesmos: "Pela graça de Deus, nós reconhecemos que existe uma alternativa para o homem externo (homem de mente carnal)".

(A alternativa é estudar e colocar em pratica os ensinamentos de Deus. A alternativa é ser um exemplo para esses que elegeram não ser. A alternativa é arregaçar as mangas e mostrar o caminho do coração para todos!)

Então, os conselhos cósmicos decretaram que a Terra não deveria mais existir, porque os conselhos cósmicos foram obrigados a ratificar o que a vontade livre da humanidade já havia decretado: - não ser, não existir.

Sanat Kumara: O Primeiro Guardião da Chama

Naquele momento, naquele momento supremo, aquele era o julgamento de um planeta e de um povo, mas então, naquele exato momento, uma chama da liberdade se levantou. Era a chama de Sanat Kumara, conhecido como o Ancião dos Dias, cuja memória é tão grandiosa que está registrada no Antigo Testamento, no Livro de Daniel - 7:9;13;22.

O Ancião dos Dias, Sanat Kumara, era a hierarquia de Vênus (o ser mais iluminado de Vênus; o responsável pelo planeta), estrela irmã da Terra neste sistema solar. Sanat Kumara veio perante esses conselhos. Ele se levantou. Ele elevou sua mão e disse:

"Esperem! Não apaguem a chama para a Terra. Eu irei! Eu serei a alma da Terra que escolheu manter a chama da liberdade acesa para toda a vida. Eu vou manter essa chama até que alguns respondam, até que alguém responda e então, os poucos e os muitos, venham a reconhecer o Fogo do Coração. Eu irei!”

Então, por livre arbítrio, um hierarca (de outro planeta) que não precisaria vir para Terra, veio para a Terra. Ele já estava livre. Ele escolheu vir para a Terra e libertar os cativos, libertar as almas prisioneiras de suas próprias consciências (vibrando a um nível) animal, carnal.

Assim, Sanat Kumara veio (para a Terra). Ele veio de Vênus. Ele veio com os Senhores da Chama. Ele veio com muitas almas de outros planetas deste sistema (solar) que se ofereceram para manter a chama (da Terra acesa, juntamente) com ele. E eles, também, levantaram suas mãos e disseram:

"Sanat Kumara, ó Senhor da Chama, não vamos deixa-lo ir sozinho para Terra. Nós também iremos! Nós iremos para ministrar aos nossos irmãos e irmãs que se esqueceram da chama, que se esqueceram da força da liberdade dentro da alma."

E assim vieram os voluntários. Eles vieram com Sanat Kumara; Eles vieram para Shamballa. Shamballa, a cidade de luz, assim nomeada pelo Ancião dos Dias, foi o lugar onde ele consagrou (a chama) no altar do templo, que foi construído para a chama da vida, a “Chama Trina”. É a chama do seu Eu Real, do Ungido. É também chamada de, “A Chama do Cristo”.

É chamada de Luz Tripartida, porque é foco de Poder, Sabedoria e Amor - o azul, o amarelo e o rosa. Ela é o foco da Trindade dos aspectos da criação: Brahma, Vishnu e Shiva - Pai, Filho e Espírito Santo. Ela é o foco do AUM, a trindade do Alfa se tornando Ômega, através da individualização da chama – em você.

Então, a chama foi consagrada, o retiro foi construído, e Sanat Kumara tornou-se o primeiro Guardião da Chama após a queda do homem e da mulher na Terra.

A história de Sanat Kumara é contada nas escolas de mistério da Grande Fraternidade Branca, e também a história de outras almas e outros mestres ascensos que vieram porque ele veio, para manter a chama acesa (nos corações dos filhos da Terra) - a história de Saint Germain carregando a chama da era de aquário e, chegando neste tempo e neste espaço para fundar uma ordem chamada a Fraternidade dos Guardiães da Chama, dedicada a manter a chama da liberdade em nome da humanidade, em memória ao Senhor dos Dias.

A Fraternidade dos Guardiães da Chama também é composta de almas que vieram nesse grupo original de (144 mil) almas, juntamente com Sanat Kumara, a éons, para ensinar a humanidade, mostrando o caminho da adoração da Luz interior.

E em seus ensinamentos e na sua demonstração, às vezes esquecendo-se (do caminho) e, assim, fazendo karma (negativo) e tornando-se ligados às evoluções da humanidade (terrena), eles finalmente chegaram ao ponto (no tempo e no espaço) onde, com um poderoso decreto de determinação Divina, eles afirmam:

"Esta é a vida! Esta é a encarnação! Este é o momento e o lugar onde eu serei livre, onde eu farei com que o meu chamado (interior) e a minha decisão sejam corretas, onde eu ratificarei (colocarei em pratica) a chama da liberdade, (a chama) de Shamballa, e (a chama) da minha alma!"

Essa liberdade para manifestar a chama, é algo que deve vir de dentro. Porque temos livre arbítrio, o desejo deve ser nosso. Nós precisamos desejar ser livres. E assim que temos o desejo, nós nos vinculamos ao grande momentum do desejo de Deus de ser livre, o que reforça o nosso desejo (por liberdade), e nós temos o movimento das águas e dos fogos da liberdade, dentro de nós - o desejo da alma (água) confirmando o desejo do Espírito (fogo).

O termo "Espírito" refere-se à Presença EU SOU, a individualização de sua própria chama de Deus.

A iniciação (o impulso da vontade) precisa vir daqui de baixo (da alma encarnada). Só então, ela será ratificada e expandida por todos acima, por toda a hierarquia da Grande Fraternidade Branca, pelos Mestres Ascensos.

Elizabeth Clare Prophet


Ensinamentos sobre Liberdade Espiritual na Conferência da The Summit Lighthouse de Julho de 1975 – na cidade de Shasta, aos pés da Montanha Shasta. - Tradução e comentários entre parênteses, de Paulo R Simões


- Ao copiar nossas páginas, indique sempre o web site - www.eusouluz.com.br -


Voltar para a Página Anterior

 Conhecer Outras páginas